Acerte o seu relógio!

Figura 1: o famoso horário de verão entra em vigor dando um tempinho a mais de sol para aproveitar o dia. No sábado para domingo (17/18) alguns estados adiantam em uma hora o relógio. É o conhecido Horário de Verão. Ele é adotado como um meio de aproveitar mais o período em que o Sol ilumina a Terra (que no caso seria o Brasil) e assim economizar energia elétrica.

Tudo começou em Londres, Inglaterra, onde um membro da Sociedade Astronômica Real, chamado William Willett (1856-1915) deu início a uma campanha para diminuir o consumo de luz artificial e aproveitar mais a luz natural.

Ele propôs avançar os relógios dos cidadãos em 20 minutos aos domingos do mês de abril e retardá-los ao normal nos domingos de setembro.

Muitas pessoas não gostaram (se é que isso não mudou muito até hoje) e muitos nem notariam a diferença, como foi no caso dos fazedeiros que acordavam assim que o Sol surgia no horizonte e paravam suas atividades quando o astro-rei (como fica com a nova regra?) se punha.

Um ano depois de sua morte a Alemanha é o primeiro país a adotar o horário de verão, seguido pela Inglaterra.

No Brasil, está em vigor desde 1931 (por Getúlio Vargas), ainda que de forma descontínua. Em 2008, um decreto presidencial estipula datas fixas para início e término do horário de verão. Todo ano, ao terceiro domingo de outubro e terceiro domingo de fevereiro (exceto quando for na semana de Canaval, que será transferido para a semana seguinte). Posso dizer que foi uma benção para desenvolvedores de software (lê-se Microsoft) essa prática pois agora poderemos saber o início e término do horário de verão por vários anos.

Como funciona

O princípio do horario de verão continua o mesmo: adaptar nossas atividades diárias à luz do Sol. Nos meses de verão o Sol nasce antes que boa parte da população tenha iniciado seu ciclo de trabalho. Assim, se os relógios forem adiantados durante esse período, a luz do dia será melhor aproveitada e as pessoas passarão a consumir energia em melhor acordo com a luz solar.

Hoje, aproximadamente 30 países utilizam o horário de verão em pelo menos parte de seu território. E muito embora o nome faça referência a uma estação do ano, as datas de início e fim do horário de verão não são definidas por critérios astronômicos.
Figura 2: os países ou regiões em azul são locais onde são adotados o horário de verão. Em laranja são locais onde o horário de verão já foi adotado e em vermelho as regiões que nunca adotaram. 
Países que adotam o horário de verão. O Brasil adianta em uma hora os relógios onde a norma se aplica, mas cada país determina o tempo que deseja.

Embora em diversos países pelo globo a ideia seja de economizar energia, aqui no Brasil, de acordo com Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) o propósito principal é a segurança do sistema.

A partir das 18 horas há um aumento do consumo de energia. Isso se deve ao uso em iluminação pública, as pessoas voltam do trabalho e ligam chuveiros, TV’s, computadores, condicionadores de ar e diversos outros aparelhos.

Mudando o horário em uma hora, o uso do sistema será de forma gradual e assim o sistema estará mais seguro.

Acordando mais cedo!

Figura 3: nos primeiros dias do horário de verão, acordar pode ser um verdadeiro desafio.Por estarmos acostumados a dormir e acordar em um determinado período e, com o horário de verão a coisa muda, nós acamos acordando uma hora mais cedo do que estávamos acostumado. Na primeira semana o organismo está tentando se acostumar com a diferença. Isso acontece pelo fato de nosso ritmo circadiano estar descompassado com a hora local. Mas, quando o horário de verão acaba, nosso organismo volta a acostumar com o horário normal, não aquele que serve para proteger o sistema energético de uma país, mas aquele que estamos acostumados a milhares de anos.

Texto original por José Roberto V. Costa, do Astronomia no Zênite. Leia o artigo completo aqui.
Imagens (exceto figura 2) foram retiradas da internet. Figura 2 foi retirado em Astronomia no Zênite

Nenhum comentário:

Postar um comentário