Proteja-se!

 

Preservativos distribuídos na campanha do Carnaval em 2009.

Todo o ano é a mesma coisa. Brasileiro não vê a hora de chegar o carnaval. Curtir a vida, beber, beijar e, porque não transar. É uma coisa natural, afinal de contas, com o calor que o Brasil faz nessa época e todo mundo usando o mínimo de roupa possível. Sem falar que quando o pessoal está atrás do trio elétrico existe mais de 300 pessoas por metro quadrado. O contato é inevitável. Como é a primeira vez em que esse blog passa por um Carnaval e não preparei mais nada de antemão sobre o assunto, resolvi escrever isso:

 

Use camisinha!

 

O governo estará distribuindo em qualquer posto de saúde para você se divertir sossegado (ou sossegada, né!). Sem falar que em qualquer supermercado ou farmácia existe diversos modelos a disposição. A camisinha é o método mais confiável para evitar uma gravidez ou uma doença sexualmente transmissível (DST).

Há registros sobre camisinha datando de 1600 a.C. onde possivelmente os cretenses usavam as bexigas natatória de peixes para evitarem terem filhos fora do casamento. Durante todo esse tempo, os métodos de fabricação foram sendo aprimorados. Tripas de animais ou linho custurado eram usados para evitar a gravidez. Mas foi apenas em 1939, com o desenvolvimento da vulcanização que foi possível fazer os atuais preservativos.

Tirando algumas opiniões contrárias sobre o uso do preservativo por parte da Igreja Católica (eu até entendo o ponto de vista deles mas alguém precisa avisar urgentemente a eles que o mundo mudou), o uso da camisinha é indispensável.

Por isso, se você quer curtir esse Carnaval sem preocupação e depois apenas lembrar dos bons momentos que teve eu digo apenas uma coisa: proteja-se!

Imagem: any – no Flickr.

Nenhum comentário:

Postar um comentário