Cultivando mitos...



No começo de maio, eu estive participando da XVIII Semana da Biologia que em seu cronograma, incluía uma visita. Fui ao Fazenda Demétria em Botucatu, no interior de SP para conhecer sobre a Agricultura Biodinâmica. Um lugar realmente muito bonito (a foto que ilustra o post foi tirada lá). Mas, talvez seja a única coisa boa que posso dizer sobre o lugar. 

O local trata sobre agricultura sem uso de agrotóxicos e de sementes que eles denominam crioulas (sementes melhoradas manualmente sem uso de técnicas como melhoramento genético). O problema são as explicações dadas em relação às técnicas e métodos que eles utilizam. 

Afinal, não é todo método de agricultura que usa os “conhecimentos” da astrologia, homeopatia e de que o homem é o centro de tudo, não é mesmo? 

Uma das primeiras impressões que tive foi de que o ser humano foi criado para trabalhar a natureza – e esta foi criada para servir o homem – Nós, usando nosso “conhecimento” sobre o cosmos (infelizmente não é o mesmo Cosmos de Carl Segan), plantamos leguminosas e cereais usando energia cósmica que certos animais captam ou emanam; sem falar que essa energia cósmica é, de certa forma, armazenada e depois dinamizada em um processo semelhante à homeopatia! Você esta achando isso um tanto “WTF”? Fique calmo, realmente é! 

Reconheço que a causa do grupo é nobre: afinal, deixar de usar agrotóxicos nas plantações, evita o acumulo de toxinas no solo e nas águas ( e nos próprios alimentos) mas, dizer que fenômenos reconhecidos pela “Ciência” (coloque quantas aspas forem necessário) influenciam o comportamento das plantas foi o que me surpreendeu. Eu pedi para encher a palavra Ciência com aspas pois a Ciência que permite desenvolver antibióticos e aumentar a expectativa de vida não é a mesma que dizem desenvolver. Essa Ciência mascarada acabou com toda a grandiosidade do projeto. 

A bexiga é obtida apenas de cervos
machos, uma vez que eles são os
únicos a possuirem a galhada que
"recebe a energia cósmica"
Os cereais e as leguminosas são cuidados usando um composto fertilizante denominado por eles de “preparado”. É um processo demorado (pode levar um ano para que o preparado fique pronto). Geralmente é utilizada alguma estrutura animal, para que o composto preparado com alguma planta absorva as energias cósmicas do animal. É isso mesmo! O mais fantástico que eu ouvi, foi deles conservarem o composto, utilizando a bexiga de um cervo europeu! Detalhe: o animal tem que ser macho: a alegação é que os chifres dos cervos machos captam a energia cósmica e , sem explicação, armazenam na bexiga. Como não existem cervos no Brasil, e a caça desse animal na Europa é permitido, o “produto” vem desidratado e embalado a vácuo pelo correio sem maiores problemas. 

Feito o composto aqui no Brasil, a bexiga é pendurada em uma árvore no outono onde, de acordo com eles, a terra (ou Terra, nessa hora tanto faz) se recolhe. Na primavera, o composto já pronto é retirado (na primavera a terra se expande) e é conservado em potes. Vi os produtos prontos, e eles se assemelham a húmus, ou a uma terra bem fofa. 

Mas, qual é o objetivo disso tudo? Acreditam que esses preparados trazem vitalidade à terra e o que dela produz. O objetivo é dispersar esses compostos na terra ou nas plantações, de modo que produza mais. Ok, de certa forma, foi usado matéria orgânica na confecção deste preparado, e possivelmente quando jogado no solo, ele venha a aumentar a sua fertilidade. Sim, acontece que não acaba por aí. O preparado é diluído para ser aplicado: coisa to tipo algumas gramas para muitos litros de água. O preparado é diluído em um grande barril de água (parecido com aquele do Chaves) e agitado até formar um vórtice (que eles dizem se parecer com uma galáxia espacial. Viu a ligação com o cosmos aí? ;-D ). Nisso, o liquido é violentamente mexido no sentido contrario, gerando o caos... 

Sem falar que no local, os produtos são plantados em uma determinada época do ano seguindo as fases da lua e do zodíaco. Além disso, não é difícil ver hortas feitas em espiral. Para eles isso representaria a mandala, que concentraria a energia para que as plantas cresçam com vitalidade. No final, os produtos cheios dessa vitalidade, são usufruídos por nós, humanos, já que somos o centro de tudo e tudo está aqui para nos servir. 

Você deve estar se perguntando: o livro sai quando? Realmente parece história mas, infelizmente, não é. Essa pseudociência acaba piorando ainda mais a situação para alunos que estão graduando em um curso de Ciência saberem realmente diferenciar a realidade da ficção (já que tudo é mostrado de forma tão natural e simples e, ao mesmo tempo, querendo resgatas aquela visão simplista do homem). 

Optei pela viagem, já que não sabia o que era Agricultura Biodinâmica e gostaria de saber se era alguma técnica diferenciada de agricultura. Mas fiquei decepcionado: ver as pessoas detonando o conhecimento adquirido com tanto suor por diversos gênios da historia foi algo que me deixou abismado. Isso acabou me fazendo ter um amor ainda maior pela Ciência; a única que sei, desde o começo, que não está com a razão e com a verdade absoluta e, ainda assim, consegue explicar o que realmente observo da natureza.

Imagem que inicia o post tirada por mim, protegida por CC. Cervo por =thrumyeye em seu deviantART.

Um comentário: