Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Um clique para a natureza!

Imagem
Garça comendo um camarão. Imagem por Hard-Rain em seu Flickr.

Sorteio de aniversário!

Imagem
Pois é pessoas, o blog Do Nano ao Macro está chegando perto dos seus dois anos de vida. Para comemorar, a editora Vieira & Lent mandou um exemplar do livro Ab Initio  para um sorteio! No livro, Franklin Rumjanek nos mostra as teorias mais recentes sobre a origem da vida e sua posterior evolução. Realmente um prato cheio para quem quer saber mais sobre o assunto. Bom, vamos lá. O sorteio possui algumas regras básicas, que estão disponíveis aqui . Depois de ler e ver que está tudo certinho (caso contrário, deixe nos comentários), basta agora você clicar no link abaixo para participar! Clique aqui para participar! Eu estou usando para o sorteio o sistema do TwitPromo. É preciso apenas ter uma conta no Twitter, permitir que o mesmo publique um tweet em sua timeline e pronto. Mas para participar é preciso clicar no botão "Quero participar!" do site em questão. A mensagem que será retweetada será essa: Quero ganhar o livro Ab Initio do #nanomacro http://bit.ly

Podcast - Tomando leite...

Imagem
O blog Do Nano ao Macro apresenta para você, sagaz leitor, o primeiro podcast de, espero, outros futuros. Embora com alguns probleminhas técnicos na hora de gravar o áudio propriamente dito - o microfone deu o ar da graça de não colaborar - acredito que o primeiro podcast também é uma forma de mostrar onde melhorar para os próximos que virão. É sabido que os seres humanos são um dos poucos que tomam leite mesmo depois de adultos. Existe uma vantagem no consumo do leite? Existe alguma modificação que permite a nós, humanos, consumir esse produto por toda a nossa vida? O primeiro podcast irá explicar um pouquinho sobre o assunto. Quem quiser ler ao invés de ouvir, no link abaixo é possível acessar a transcrição do áudio. Vamos lá! A transcrição, material citado no podcast, informações adicionais e créditos se encontram na continuação, clicando abaixo.

Um clique para a natureza!

Imagem
Imagem por .Bala em seu Flickr. Visto originalmente aqui .

Todos nós, filhos da África

Imagem
É inegável, em vista do farto material disponível, que a origem do ser humano ocorreu na África. Cerca de seis milhões de anos atrás uma linhagem que iria dar origem a nós se separou da linhagem que viria a dar nos conhecidos grandes macacos da África - como o chimpanzé e o gorila. Geneticamente somos mais aparentados com os chimpanzés do que com qualquer outro ser vivo no planeta (excluindo nós mesmos): mais de 98% de nossos genes são semelhantes aos nossos primos evolutivos. A décima música feita por John Boswell no incrível projeto Symphony of Science nos conta sobre a ascenção do ser humano na paisagem africana e que, ao contrário do que muitos acham, somos apenas fruto da evolução e que muitos de nossos aspectos que consideramos únicos são observados também em outros seres. Pela primeira vez o astrônomo Carl Sagan - um dos maiores divulgadores científicos de sua época - não participa na mixagem. Entretanto, outros conhecidos da Ciência participam do clipe, como David Atten

Répteis não existem...

Imagem
Quando o assunto é Ciência, fique certo de uma coisa: as coisas sempre estão mudando. Isso é, de certa forma, natural já que o conhecimento sempre vai avançando e a medida que novas coisas vão sendo descobertas,as ideias antigas vão sendo deixadas de lado. Na Biologia, que meu professor de Física dizia não ser Ciência[1], acontece a mesma coisa. Não é difícil imaginar a grande diversidade de vida que existe. Pergunte ao seu avô ou qualquer pessoa que conheça bem alguma mata e pergunte quantas espécies de aves e de outros bichos ele conhece. Serão muitos. Mas garanto que ele não citará nem 1% das espécies que realmente existem no local onde mora. Os cientistas sabem do desafio quando se deparam com mais de dois milhões de espécies conhecidas e mais tantas outras a serem descobertas. Organizar isso tudo é um desafio e tanto. Atualmente, a Biologia trabalha com a Sistemática Filogenética (ou Cladística, para os íntimos). E, quando os caras foram organizar as espécies, viram que