Câmera e asas de passarinho


Câmeras e dispositivos de gravação de imagens são tão comuns que carregamos em nossos bolsos, temos guardados em casa e somos quase indiferentes a elas ao encontrarmos algumas nas ruas e estabelecimentos comerciais - nesse caso, sempre acompanhadas de um: sorria, você está sendo filmado.

Apesar de toda a evolução das câmeras, saindo das modestas câmeras que registravam as imagens em filmes de péssima qualidade até as modernas câmeras Full HD, até mesmo 4K ou 8K[1], todas elas trabalham com o conceito de cadência.

A cadência é o registro de um conjunto de imagens em um determinado período de tempo. Talvez você conheça como "quadros por segundo", ou por 'fps' (frames per second, em inglês)[2]. Toda e qualquer produção ou reprodução de imagens trabalha com essa ideia. A maioria das câmeras tradicionais capturam cerca de 24 a 28 quadros por segundo. Ou seja, a cada segundo que se passa, a câmera registra 24 a 28 quadros daquilo que se está gravando. Existem câmeras que gravam 60fps, ou seja, 60 quadros por segundo, como nesse vídeo apresentando as belezas do Peru.

É necessário colocar em alguma resolução HD para ver o vídeo em 60fps

Bom, apesar dos vídeos nada mais serem que muitos quadros serem reproduzidos um seguido do outro, nos dando a ilusão de movimento, algo curioso pode ser percebido quando ocorre uma espécie de sincronização entre os ciclos de gravação (o número de quadros gravados por segundo) e o bater das asas de um pássaro.


O vídeo traz a sensação de que o pássaro está levitando na frente da câmera quando, na verdade, o momento em que a câmera registra as imagens do pássaro coincide com a posição em que a asa do pássaro está no momento da captura, dando a sensação de que ele não está movendo a asa.

Infelizmente não descobri onde esse pequeno vídeo foi registrado. Mas vale a curiosidade em saber mais sobre o registro de imagens e sobre o pássaro estar levitando na frente da câmera...

🐦📹😱

Rodapé:
[1]: embora protótipos de diversos tipos de resolução sejam constantemente desenvolvidas e testadas, resoluções maiores que 4K acabam não fazendo tanto sentido. Uma coisa a ser observada é a resolução do próprio olho humano, em reconhecer pontos indistinguíveis. Resoluções maiores que 4K querem dizer que existem mais pontos em uma determinada área da tela que o olho humano simplesmente não vai conseguir definir. Ou seja, você aumentando a resolução não significa que a imagem vai ficar definida, já que seu olho não vai conseguir distinguir a diferença. Apesar disso, os fabricantes podem colocar outros incrementos na fabricação de câmeras e televisões modernas, como alta taxa de frames ou reprodução HDR.

[2]: gamers que jogam pelo computador são particularmente preocupados com isso. Para que o jogo tenha fluidez na tela (não fique travando) e alta responsividade é preciso ter, além de um bom computador, uma ótima placa de vídeo para renderizar os gráficos do jogo de forma mais realista possível (como o reflexo da água, gotas de chuva, grama ou cabelos).

Imagem que abre a postagem visto em Outside My Window.

Nenhum comentário:

Postar um comentário