Mundo azul…

 

space_odyssey

No começo de nossa existência, nosso mundo não é azul, e sim vermelho. Os sons que ouvimos chegam aos nossos ouvidos abafados e se misturam, quase sempre, com uma voz grave vinda de dentro desse mundo. Ele está repleto de água e, embora não possamos respirar, recebemos tudo que precisamos através de um cordão que nos liga a parede desse mundo vermelho. Tal mundo, cheio de líquido e quentinho é o nosso primeiro lar. A nossa primeira espaçonave.

Saímos desse mundo quase sempre irrompidos de choro. E encontramos outro mundo… azul. Percebemos que estamos mais ligados a ele, nessa incrível espaçonave que flutua sobre o manto negro do Universo, do que quando estávamos no ventre de nossas mães. Mas muitos não percebem isso. Semelhantes a parasitas, usam e abusam de todos os recursos disponíveis para seu bel prazer. Julgando o mundo ser grande, tão grande em relação ao seu primeiro lar que faz criar a sensação de ser infinito, destroem e transformam essa destruição em folhas de papel valiosas, que trocam entre si, e estão a ponto de matar por elas, onde são elas que ditam o que deve ser feito e não o que é correto ser feito.

Mas a Terra não passa de um pequeno ponto suspenso na imensidão do Cosmo. Ela, com seus inúmeros parasitas que a exploram tem um limite. Para satisfazer as necessidades de um lado desse ponto, algo falta no outro lado. A água, esse recurso tão importante e que está presente desde o surgimento da primeira célula viva está sendo condenada aos poucos. Esse bem, essencial para que a vida prossiga, está se tornando escasso. Um bilhão de pessoas não tem acesso a água para suprir suas necessidades básicas, como tomar banho, lavar roupas e principalmente bebê-la.

Daqui a cerca de 20 anos, mais da metade das pessoas sofrerão com a escassez de água. Algo está sendo feito para resolver essa situação? Por incrível que pareça, muito pouco. Aquelas folhas de papel preciosas parecem cegar poucas pessoas que detêm o poder e simplesmente ignoram o clamor dos muitos que não tem poder algum em suas mãos. Enquanto nos países ricos cada pessoa gasta até 600 litros de água por dia, nos países mais pobres não chegam a usar 20 litros por dia, que é o mínimo recomendado. Isso faz com que mais de 1,5 milhão de pessoas, a maioria crianças, morram por falta de água de qualidade.

Recentemente, fiz um trabalho para a faculdade com o tema ‘Bioquímica da Poluição’. Eu e meu grupo abordamos os principais tipos de poluição existentes. No final da apresentação, expusemos o seguinte provérbio africano:

"Trate bem a Terra. Ela não foi doada a você por seus pais. Ela foi emprestada a você por seus filhos."

Uma breve reflexão a respeito do provérbio, nos permite afirmar, que se quisermos um futuro promissor para nós, temos que cuidar do ambiente onde vivemos, pois o que fizermos agora será o legado que deixaremos a eles no futuro. Cuidar da água é uma das principais bandeiras que todos nós devemos levantar para que possamos reverter esses números. Para que possamos deixar o nosso mundo sempre azul, o azul que aprendemos a amar.

Com a colaboração de @LiviaMaisaa.

BAD2010-Water1Este post faz parte da campanha “Blog Action Day 2010: WATER” pelo site change.org. Eu participei. Participe você também escrevendo sobre o assunto em seu blog ou em alguma rede social como Facebook ou Twitter (com a hashtag #BAD2010). Espalhe essa ideia.

Imagem de um quadro do filme “2001: Uma Odisseia no Espaço” encontrado em Reverse Shot. Com dados de Folha.com e TSF.

2 comentários:

  1. Muito bom texto Wesley! Parabéns...Gosto muito do seu Blog! Beijos, Lívia ;D

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por ter ajudado a montar o texto pro #BAD2010... :)

    ResponderExcluir