BBB e os livros...

Ele está vendo você!
Estava lendo esses dias atrás o livro O Físico que conta as aventuras de Rob. J para se tornar médico na Europa Medieval. O livro é uma boa história e recomendo a todos. Enfim, estava lendo página por página, folha por folha querendo saber o que acontecia com o personagem e ver no que ia acontecer com ele quando aparece determinada pessoa ou quando ele vai para um novo lugar.

Visitei minha avó e levei o livro para continuar a ler nos momentos de "não tenho nada para fazer". Posso dizer que a rua onde mora não é uma das mais calmas e do quarto onde estava podia ouvir facilmente crianças brincarem e algumas pessoas conversarem. Numa dessa ouvi "tal pessoa beijou não sei quem e que estava acontecendo não sei o que lá na casa do BBB". Confesso que assisti integralmente apenas a primeira temporada da "casa mais vigiada do Brasil". Da segunda em diante não assisti mais e no máximo que eu sei que acontecem são coisas que falam nas rodas de conversa ou naqueles 'boletins' que ocorrem durante o intervalo na TV Globo.

Naturalmente, a primeira coisa que veio na minha cabeça foi: como pode uma pessoa ficar tão interessada na vida de outra? Continuei a ler o livro por mais algumas linhas quando, de um estalo, surgiu a resposta: do mesmo jeito que você está lendo esse livro! Nunca havia pensado nisso: eu sou um telespectador vendo a vida de alguém, assim como no BBB, sóque. Sei que a vida do personagem que estou lendo é fictícia... talvez lugares, situações e coisas do tipo possam ter acontecido em menor ou maior grau com alguém na realidade mas ainda assim é um personagem. É algo que não pertence à realidade "real".

Quando lemos uma boa história em nossa mente tentamos 'adivinhar' o que o personagem vai fazer. Estamos num estado de "fofoca interna" nos perguntando se ele vai fazer aquilo ou se ele vai abrir a porta que vai dar para o monstro ou não. Com o BBB é a mesma coisa: perguntas como quem vai ficar com a Ariadna (que descobri em sites que é transexual, o que faz sentido a fofoca sobre) ou outros assuntos pertinentes ao convívio dos brothers. É sabido que a fofoca aumenta os laços sociais já que você passa a confiar naquela pessoa em compartilhar um "segredo coletivo". Embora a fofoca esteja ligada as mulheres, sabe-se os homens gostam de comentar sobre qualquer assunto tanto quanto a mulher.

Não é novidade que o brasileiro é apaixonado por assistir TV. É comum ver uma família na frente da televisão durante ou depois do jantar vendo o jornal, novela e algumas épocas do ano, reality shows. Também é sabido que o brasileiro lê pouco* e que a informação passada pela TV é de fácil acesso. Mas aquela vontade de se transportar para algo irreal e imaginativo ainda está presente. Por isso novelas e reality shows são tão vistos. As casas, as pessoas, personagens estão além da realidade de muitos brasileiros que acordam cedo para trabalhar horas e horas a fio para no final ganhar um salário mínimo. É o mesmo que ocorre quando lemos um livro: nosso cérebro viaja para lugares e situações que estão além daquelas vividas por nós. E quando lemos uma obra muito boa temos vontade de compartilhar aquilo que descobrimos com outra pessoa! O princípio é o mesmo quando alguém chega para você perguntando se viu o que passou na TV ontem à noite.

Portanto, baseado nesse ponto de vista, não podemos dizer que quem assiste BBB é burro e quem lê livros é inteligente. Ambos estão fazendo a mesma coisa, mas usando meios diferentes.

P.s.: como curiosidade o nome do programa é Big Brother pois foi tirado de (adivinhe!) um livro. O livro '1984' de George Orwell mostra um regime totalitário em que as pessoas são vigiadas por um indivíduo chamado Grande Irmão (Big Brother, em inglês) através de televisores. Outro livro que está na minha lista para ser lido...

* A leitura média do brasileiro é de 4,7 livros por ano.. Entretanto, se não considerarmos livros didáticos (que são dados pelo governo), a média cai para 1,3. Isso é muito menor do que a média americana de 11 livros por ano. Uma dos motivos para a leitura tão baixa entre os brasileiros está o preço dos livros. Embora existam livros custando menos de dez reais em sites de venda, os produtos em lançamento geralmente são caros e se quer comprar com preço "mais em conta" tem que esperar passar um tempo. Ainda não há bibliotecas disponíveis em todas as cidades do Brasil, o que seria um outro motivo.

Imagem por Imagens Grátis. Com informações de EcoDesenvolvimento, O Globo e Ministério da Cultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário