Linguagem e pensamento...


"Estou diante de uma menina de 5 anos em pormpuraaw, uma pequena comunidade aborígene na borda oeste do Cabo York, no norte da Austrália Quando peço para ela me mostrar o norte, ela aponta com precisão e sem hesitação. A bússola confirma que ela está certa. Mais tarde, de volta a uma sala de conferências na Stanford University, faço o mesmo pedido a um público de ilustres acadêmicos, ganhadores de medalhas de ciência e prêmios de gênios. Peço-lhes para fechar os olhos (para que não nos enganem) e apontem o norte. Muitos se recusam por não saberem a resposta. Aqueles que fazem questão de se demorar um pouco para refletir sobre o assunto, em seguida apontam em todas as direções possíveis. Venho repetindo esse exercício em Harvard e Princeton e em Moscou, Londres e Pequim, sempre com os mesmos resultados."
O trecho acima eu retirei de uma matéria feita por Lera Boroditsky para a Scientific American. É impressionante, ao ler o texto, como a linguagem molda nosso pensamento e que o contrário também é válido. Ela cita que pessoas bilíngues geralmente tem uma outra forma de ver o mundo e que muitos conceitos que julgamos básicos como se localizar no espaço (e até no tempo) são diferentes entre os povos por causa do idioma.

Para ler a matéria completa, clique aqui.

Com imagem por =roseonthegrey em seu deviantART.

Nenhum comentário:

Postar um comentário