9 Meses - post 17

O dia em que os pais mais esperam em saber finalmente chegou. Afinal de contas, é menino ou menina?

Então Doutor, é menino ou menina?

O barulho de porta sendo fechada é ouvido ao fundo. Tirando o barulho da máquina de lavar roupa da vizinha funcionando a todo vapor, a casa estava em silêncio. Aos poucos Ana desperta. A cada dia Ana percebe mais sua barriga, principalmente quando está deitada. Não sabe se realmente está sentindo isso, mesmo sabendo que seu bebê sendo tão pequeno, com pouco mais de 9 cm ou se não passa de seu psicológico, desejando perceber cada vez mais o pequeno que se desenvolve dentro de si. Ela resolve levantar, relutante em deixar a confortável cama, o ninho de amor do casal. Na noite anterior, Carlos estava receoso em fazer amor com a amada, já que não queria fazer mau algum ao seu futuro filho. Ana disse a ele que não era bem assim. O casal pode sim fazer amor evitando, obviamente, algumas posições exóticas demais.Mas não era proibido. Deu um leve sorriso por lembrar da situação.

Ana tomou um leve café da manhã, coisa que amava fazer: umas duas bolachinhas, meio mamão e um copo de suco de laranja que seu marido fizera antes de sair para o trabalho.

Ana chegou à clinica 15 minutos antes do horário marcado. A cliente antes dela acabara de sair do consultório. Minutos depois ela entrou no consultório do Dr. Steven. Depois de uma rápida conversa, ela foi se arrumar para o exame de ultrassonografia.

-- Muito bem Ana, seu marido não quis vir com você hoje? - perguntou o médico, jogando um pouco de gel de ultrassonografia no ventre de Ana.

-- Ele queria sim, doutor. Mas um cliente de uma empresa dele veio hoje do Rio de Janeiro para fechar um acordo e ele teve que ir...

-- Ah sim, entendo - concordou com a cabeça enquanto olhava para o monitor - estamos com três meses, não é Ana?

-- Sim doutor, acredito que faz três meses essa semana mesmo.

-- Perfeito... estou tomando algumas medidas do feto para verificar o desenvolvimento e a saúde. Pedirei depois alguns exames de sangue e urina para acompanharmos, ok? - Ana concordou com a cabeça olhando fixamente para o monitor.

-- Doutor... já dá para saber? - Ana questiona sem completar a frase. Entretanto, com os anos de prática, Dr. Steven sabe muito bem do que ela está falando.

-- Vamos ver... - nisso, o Dr. Steven aplica um pouco mais de gel no ventre de Ana e começa a massagear a sonda transdutora do ultrassom contra ela, tentando achar melhor o que deseja ver. Para Ana tudo aquilo não passava de um borrão sem forma alguma. Entretanto sabia que ele informava muito mais do que parecia para quem tinha os olhos treinados para isso. Nisso ela percebe que o doutor parou de varrer sua barriga com o aparelho e ficou analisando a imagem por alguns segundos. Ana não se conteve e dispara a pergunta.

-- Então doutor, é menino ou menina?

-- Hum... bom, eu estou vendo muito bem aqui... - disse, analisando melhor o monitor de ultrassonografia - você quer realmente saber? - Ana concorda com a cabeça. Até a assistente do doutor desponta a cabeça para fora de sua sala curiosa com o sexo da criança.

-- Bom... - Dr. Steven mau começa a falar e a secretária bate na porta. O doutor pede para entrar. A secretária entrou perguntando se poderia aceitar mais uma paciente para o dia. A paciente estava na linha aguardando a resposta. O médico pondera internamente sobre a situação e concorda em atender mais uma paciente no dia. A secretária fecha a porta para dizer a paciente vir logo mais.

-- E então doutor? - perguntou Ana que, assim como a assistente, não se aguentavam de curiosidade.

-- Calma Ana. É com muita alegria que lhe digo que uma linda menininha está vindo ao mundo!

Ana ficou alguns segundos processando o que acabara de ouvir. Em seguida, desponta em seu rosto um sorriso de ponta a ponta. A assistente deu um leve sorriso e ficou satisfeita em ver a felicidade estampada no rosto de Ana.

-- Vou ser mãe de uma menininha? - seus olhos levemente marejados não escondiam a satisfação da notícia.

-- Sim Ana, meus parabéns! Veja você mesma - disse o médico, apontando para o monitor - aqui, está vendo. Essa região mais escura é o ânus da criança. Essa mais acima é o local da futura vagina. Com grande certeza é uma menina. Um menino seria um pouco diferente - Ana viu e ouviu o que o médico disse mas não estava prestando muita atenção. Sua cabeça estava em querer contar para Carlos a notícia, em contar para seus pais, em comprar coisinhas de menina, em montar o quarto!

Depois disso, o médico finalizou o exame e guardou os dados obtidos em seu computador, junto com o histórico de Ana para acompanhamento. A assistente lhe dera os parabéns pela futura mamãe de uma menininha. Ana agradeceu com um abraço sujando a roupa da assistente com um pouco de gel que ainda estava em seu corpo.

Mal colocou o pé no lado de fora da clínica e já sacara o celular. Ela dá alguns toques na tela do aparelho e espera. Segundos depois seu marido atende.

-- Olá amor, tudo bem com você? Não era para estar na clínica agora?

-- Carlos! É uma menina! - disse alto. O telefone fica mudo por alguns segundos.

-- É... uma... menina? - ele ouve um sim estonteante do outro lado da ligação - quer dizer que eu serei pai de uma menininha? - perguntou em voz alta, onde todos do ambiente de trabalho puderam ouvir, incluindo o cliente que viera do Rio de Janeiro. Mais uma vez ele ouve um sonoro sim do outro lado.

Ana ouve uma comemoração do outro lado da ligação. Diz à esposa que a ama muito e que adoraria ouvir a notícia. Disse que na hora do almoço eles conversariam mais. Ana desligou o telefone e voltou para casa sem conseguir disfarçar o sorriso. Na empresa de Carlos, ao desligar o celular, viu que todos olhavam para ele. Dizendo em voz alta, declarou para todos:

-- Gente, serei pai de uma menina!

Aplausos e desejos de parabéns foram ouvidos. Algumas batidinhas nas costas também foram sentidas. Frases como "tomara que não puxe o pai" também foram ouvidos. Entretanto foi o cliente do Rio de Janeiro que chamou a atenção. Após os parabéns, ele disse:

-- Carlos, você vai ver só. Em breve você a estará levando para o altar!

-- Ah meu Deus, é verdade! - disse com os olhos arregalados - mas ela é minha menininha...

Carlos não entendeu por que todos riram. Em poucos minutos todos voltaram ao trabalho. Ele não via a hora de encontrar sua amada esposa e ouvir a maravilhosa notícia diretamente dela.

Com imagem por *DianePhotos em seu deviantART.

Nenhum comentário:

Postar um comentário