Zoom no Universo...

As maiores e menores coisas do Universo às vezes tornam-se tão complicados de imaginar por nós,
meros humanos de menos de dois metros de altura.

O trabalho mais difícil, penso eu, eu transmitir alguma informação científica é quando nos deparamos com grandes números de tempo e espaço. Quando tratamos de uma viagem imaginária no tempo, conseguimos imaginar com um certo grau de certeza, o quanto de tempo é uma hora, por exemplo. O quanto de tempo é um ano, o nosso rau de certeza cai relativamente. Imaginar 200 anos, a situação começa a complicar. Imagine então, 560 milhões de anos atrás[1]!

E quando tratamos de distâncias de espaço? Hum, aí complica mais para o nosso lado: é tão complicado de pensar direito que basta dizermos a distância entre quaisquer duas cidades e logo perguntamos: demora quanto tempo? Entretanto, alguns valores de distância são comuns ao ser humano: um metro, mil metros (ou um quilômetro) ou a distância de sua casa ao mercado mais próximo. Mas a medida que aumentamos a distância, a coisa[2] complica: imaginar 1000 quilômetros ou 300 mil quilômetros são muito mais difíceis de conceber. O mesmo vale quando você quer ver/imaginar valores pequenos demais[3]. Imaginar valores como 1 mícron ou 400 nanômetros são muito mais difíceis até mesmo que imaginar distâncias grandes.

A tecnologia atual ajuda um bocado a diminuir essas distâncias pouco palpáveis. Já falei sobre animações na internet em outros posts sobre isso. Agora eu achei mais esse que é bastante interessante e quero compartilhar com vocês! Recomendo rodar a animação em tela cheia. Quando terminar de carregar, você pode começar a viajar pelas coisas a partir de qualquer escala de tamanho, escolhendo pelas imagens. Recomendo que comece por uma das pontas das imagens.



Informações extras:
[1]: a título de curiosidade, a essa época a chamada 'Explosão do Cambriano' aconteceu. Formas calcificadas de seres vivos brotam do registro fóssil.

[2]: a Lívia, minha namoradinha, brigou comigo por usar muitas vezes a palavra 'coisa'. Entendo que ela está certa e mudei algumas vezes o texto para ficar melhor para ler, mas não consigo evitar. Mas que coisa!?

[3]: o ser humano consegue ver objetos com cerca de 1 mm. Valores menores que esse tornam-se indistinguíveis e precisamos de aparelhos para aumentar o tamanho visível do objeto, como lupas ou microscópios.

Com imagem por NASA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário