Perspectivas para 2015 na ciência!

A sonda Dawn será uma das estrelas no mundo científico esse ano. Ao fundo, Ceres.

Para os queridos leitores que acompanham o blog, já fiz minha postagem de apresentação para esse novo ano que se inicia na postagem passada. Para você, novo leitor que nos descobriu por meio de links ou buscas na internet, seja bem vindo! E feliz 2015!

Esse ano estaremos nos preparando para o considerado maior evento de logística do mundo nos tempos de paz: as Olimpíadas. Mas, produções acadêmicas no Brasil e no mundo estarão acontecendo em ritmo acelerado.

A Nature, assim como publicado no ano passado e traduzido especialmente para o blog, publicou as principais expectativas para esse novo ano! O texto, assinado por Elisabeth Gibney, traz bastante coisa interessante para 2015!
  • Colidindo partículas: depois de muita espera (cerca de dois anos), o LHC (o maior acelerador de partículas do mundo, que fica no CERN, na fronteira franco-suiça) será reativado novamente. Em março começará o retorno das atividades, esperando que o aparelho alcance colisões a 13 trilhões de elétron-volts; quase o dobro do recorde de energia para colisão. Espera-se que novos entendimentos sobre o funcionamento e composição das partículas seja obtido nesse nível de energia, colocando o modelo padrão atômico em teste.
  • Problemas climáticos: depois de promessas em 2014 vindos da China e Estados Unidos (os países que mais emitem gases-estufa). Isso poderá ajudar as Nações Unidas nas conversas sobre fechar um pacto de redução de emissões de gases-estufa que acontecerá em Paris no final desse ano. Sabemos que as reduções deverão ser feitas de forma mais rápida possível: a média de traços de dióxido de carbono poderá passar de 400 partes por milhão pela primeira vez em milhões de anos.
  • Fim do surto de ebola na África Ocidental: especialistas em saúde esperam que o surto se estabilize e acabe ainda nesse ano. A ação dos profissionais de saúde na África, em identificar e isolar rapidamente os pacientes e os testes cada vez maiores com medicamentos e vacinas contra a doença e o uso de soros dos pacientes curados poderão ser as armas contra a doença nesse ano.
  • Cometas fora, planetas anões dentro: após a inédita conquista de pousarmos em um cometa (Roseta/Philae, a Terra manda abraços), agora a NASA está se preparando para realizar duas façanhas incríveis: a sonda Dawn pousará no planeta anão Ceres, o maior corpo que fica no cinturão de asteroides, entre Marte e Júpiter. E, no meio do ano, depois de muito andar (cerca de cinco bilhões de quilômetros), a sonda New Horizons fará sua aproximação no planeta anão Plutão e de sua lua, Caronte, obtendo dados inéditos de sua composição.
  • Novos laboratórios: grandes novos laboratórios serão abertos no ano que vem na Europa e estados Unidos. O que chama a atenção é o dinheiro investido na construção destes grandes centros científicos. Em Londres, Inglaterra, o Francis Crick Institute (cerca de US$ 1 bilhão de dólares em investimentos), em forma de cromossomo, abrigará mais de 1200 cientistas e trabalhará em estudos de genética. A Universidade de Manchester abrirá o National Graphene Institute e espera-se transformar o local na 'Cidade do Grafeno'. O grafeno, composto apenas por carbono organizado em forma de cristal (semelhante ao diamante, por exemplo) possui propriedades muito peculiares, podendo ser usado desde a medicina até a robótica e computação. E o Allen Institute for Cell Science, financiado por um dos fundadores da Microsoft, Paul Allen, irá estudar a estrutura básica do corpo em um laboratório de mais de US$ 100 milhões de dólares.
  • Medicamentos contra o colesterol: a indústria farmacêutica está desenvolvendo um medicamento que usa a proteína PCSK9 como alvo contra o LDL, o considerado colesterol ruim. Testes em laboratórios se mostraram promissores ao reduzir os níveis do LDL no sangue.
  • Buscas to tecido do espaço-tempo: uma nova gama de atualizações no Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory (LIGO), detectores a laser localizados nos estados americanos de Washington e Louisiana, permitirão aumentar a sensibilidade para a detecção de ondas gravitacionais, previstos por Einstein cerca de 100 anos atrás.
  • Respondendo enigmas antigos: pesquisadores esperam publicar o sequenciamento completo do DNA do humano Sima de Los Huesos de 40 mil anos encontrado em uma caverna na Espanha. Após o trabalho fantástico dos pesquisadores em levantar o genoma mitocondrial nesse humano (o DNA degrada muito rápido e foi preciso um enorme trabalho afim de ir ligando vários pequenas partes que iam encontrando). O estudo do genoma desse humano poderá ajudar a entender melhor nossa evolução, nossa ligação com os Neanderthal e com outro grupo antigo, os denosovianos e verificar casos de cruzamento entre os homens modernos e ancestrais.
  • Manobras políticas: o governo russo vai rever nesse ano 450 institutos de pesquisas da Acadêmia Russa de Ciências após sua independência em 2013. E os cidadãos britânicos irão às urnas no segundo trimestre do ano para escolher se aceitarão a criação de leis para fertilização in vitro com três pais. Caso positivo, isso será um feito histórico em todo o mundo.
  • Perspectivas no oceano: os EUA estão preparando dois novos navios para pesquisas científicas em alto-mar. E o projeto Ocean Observatories Initiative americano irá analisar os mares em tempo real. O Japão provavelmente irá retomar sua caça "científica" nesse ano também, depois de ficar alguns anos proibida pelo Tribunal Internacional de Justiça.
Você poderá ver a publicação original da Nature clicando aqui, em pdf.

Imagem em JLP/NASA. Texto original da Nature Publishing Group. Adaptação permitida sob número 3542560949669. Translated by permission from Macmillan Publishers Ltd: NATURE NEWS, What to expect in 2015, copyright 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário