Calendário Cósmico 05

Figura dos Corpos Celestes, feito pelo cosmólogo e cartógrafo Bartolomeu Velho, em 1568. Durante muito
tempo a teoria geocêntrica dominou o pensamento antigo e medieval. Apenas na Idade Moderna, essa
visão foi sendo abandonada, dando espaço a teoria heliocêntrica. Com o tempo, percebemos que
não éramos o centro do Universo.


02 de Setembro
01:36:02 - Planetas ao redor de uma estrela...
Equivalente ao tempo real: 4,5 bilhões de anos atrás

A partir de agora, daremos foco aos acontecimentos que irão ocorrer a uma pequeníssima área de todo o Universo. Nesse local, mais precisamente em um dos braços da Via Láctea, um amontoado de matéria começa a girar ao redor de um centro comum. Essa poeira começa a se juntar, devido a atração gravitacional de modo a produzir enormes bolotas de gás ou, em alguns casos, de material pastoso, extremamente quente.

Num dado momento, o centro desse sistema em formação possuia tanta matéria (composta quase exclusivamente de hidrogênio) que iniciou um processo termonuclear. Nesse momento, podemos contemplar o nascimento do Sol. A estrela ficou com cerca de 98% de toda a matéria que existia na nuvem de poeira que dera origem a esse sistema. Os demais 2% ficou distribuído a massas rochosas e gasosas que ficaram circundando ao redor do Sol, presas a sua grande atração gravitacional. Um desses, o quinto para ser mais preciso, se tornou o que chamamos de uma estrela frustada. Composto quase da mesma matéria do Sol, ele não brilha pois não possui matéria suficiente para iniciar sua própria fusão nuclear.

Já o terceiro planeta em distância do Sol, um milhão de vezes menor que o astro-rei, era composto de material mais pesado, como ferro, níquel e outros compostos, dando-lhe um aspecto mais rochoso (se é que, nessa época de formação, o planeta tinha aspecto mais pastoso, devido às altas temperaturas). O planeta Terra, seria bombardeado por diversos asteroides e outros grandes corpos, até o fim de sua formação. Theia, um corpo celeste chocou-se com a Terra, quando esta estava se formando. O impacto foi tão violento que parte do planeta Terra teria sido jogada para o espaço. Mas, essa matéria, ainda sob influência gravitacional da Terra, começou a orbitar em sua volta. A Lua, possivelmente, surgiu dessa forma.

Um início conturbado para um sistema solar. Muito do que sabemos vem, principalmente, através de observação de corpos celestes distantes, o uso de computadores que simulam eventos baseados nas leis conhecidas da Física.

P.s.: a hipótese do Grande Impacto, ou Big Splash (que citei no texto), é apenas uma das inúmeras tentativas de explicar o surgimento da Lua. Atualmente, essa hipótese é uma das mais aceitas pelos cientistas.

Imagem em Wikipédia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário