A natureza é bela...


Esses dias estava pensando o quão é linda a natureza. Embora não sabemos exatamente como aconteceu, ou o por quê, há 13,7 bilhões de anos atrás o nosso Universo começou a dar as caras. O Big Bang mandou para todos os lados matéria que, aos poucos, foi ganhando formas mais comuns ao nosso bom senso.


Gigantescos fornos de gás começaram a surgir e emitir luz e calor para todas as direções. As primeiras estrelas (assim como as atuais) queimavam hidrogênio em seu interior, transformando em materiais mais pesados. Com o passar dos milhões de anos, o Universo começou a conhecer outros elementos químicos, como o carbono, oxigênio, nitrogênio, ferro e tantos outros que estavam sendo feitos dentro dessas enormes estrelas.


Muitas dessas estrelas eram tão grandes que o último suspiro de vida era dado em uma enorme explosão. O calor e a pressão geradas nessa explosão eram tão grandes que novos elementos começaram a aparecer, como cobre, chumbo, zinco e urânio.


Esses elementos foram se espalhando por vários lugares no Universo. Essas nebulosas, cheias de matéria começaram a se aglutinar, formando massas de matéria cada vez maiores, que por sua vez atraiam mais matéria devido a conhecidíssima força gravitacional.

Essas bolas de matéria que se formaram, algumas infelizmente estavam ou longe ou perto demais de uma estrela amarelinha que surgiu entre essa nebulosa para permitir que uma substância muito importante estivesse em estado líquido a tempo suficiente para que certas reações químicas acontecessem: a água.


Em um dos planetas que orbitavam essa estrelinha, as substâncias conseguiam formar compostos cada vez mais complexos, se arranjando de modo a se manterem estáveis o máximo de tempo possível. Com o passar do tempo, essas estruturas moleculares complexas começaram a se replicar, gerando cópias de si mesmas, que iam sobrevivendo com o passar do tempo nesse ambiente primitivo.

Esses estruturas primitivas foram ficando cada vez mais especializadas a ponto de elas serem estruturas que começaram a responder a estímulos ambientais. A vida começou a dar as caras no pálido ponto azul, o pequeno planeta Terra.


Esses seres viventes da Terra eram sempre testados pela natureza. Apenas aqueles com maior capacidade de sobrevivência conseguiam passar suas características à frente. Como o planeta era diferente em cada região, a pressão seletiva era diferente em algum ponto. Graças a isso, seres vivos diferentes começaram a surgir. A diversidade era a palavra de ordem no momento.


Uma grande diversidade de vida surgiu. Nessa incrível evolução, um dos ramos dessa diversidade leva até ao Homo sapiens.

É incrível pensar que, olhando para cima, sei que a matéria de qual sou feito veio de lá, das quentíssimas fornalhas das estrelas que nem existem mais. E parafraseando Carl Sagan, “diante da vastidão do tempo e da imensidão do universo, é um imenso prazer para mim dividir um planeta e uma época com você.”

Fiz esse post em homenagem à minha amiga, companheira e amada namorada: Lívia.

Com imagem por (na ordem de postagem): *Eivind31, ~FuriSkeletor, ambos no deviantART, aqui, NASA Images, NASA Images, ~Aur0raB0realis em seu deviantART e arquivo pessoal, protegido por CC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário